• c-facebook

© 2017 por REDE AGUAPÉ.

Pé na água

Atendendo ao Edital CT-Hidro/MCT/CNPq nº 15/2005 - Popularização da Ciência: Olhando para a Água, o projeto “Água e Cidadania na Bacia do Apa – Uma abordagem sistêmica e transfronteiriça na década brasileira da água”, ou simplesmente Pé na Água, foi uma das 13 propostas selecionadas em todo o Brasil. Concluído em março de 2008, teve como proponente a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e, como parceiras, diversas instituições regionais e as sete prefeituras dos municípios brasileiros da bacia.

O principal objetivo do projeto foi dotar a comunidade dos municípios que compõem a Bacia Hidrográfica do Rio Apa, de conhecimentos, informações e instrumentos para participação na gestão das águas, por meio da produção de materiais impressos e eletrônicos e do treinamento em oficinas e cursos, tendo como público preferencial professores de escolas públicas, técnicos e educadores ambientais dessa bacia.

Dadas as características desse tipo de mídia, esperamos que se constitua em ágil instrumento de apoio didático a professores e demais interessados, como recurso prontamente disponível para aulas, estudos, palestras e outras atividades contextualizadas à região. Além de conter o livro e a cartilha, em PDF, disponibiliza apresentações multimídia (em power-point) e outros materiais, feitos por técnicos e pesquisadores do projeto e colaboradores diretos, além de materiais de terceiros – cartilhas, relatórios e artigos de livre  reprodução. Também são disponibilizados nove mapas (didaticamente adaptados pela equipe do projeto) além de 10 planos de aula e artigos inéditos, elaborados por alunos da disciplina Prática de Ensino de Biologia, curso de Ciências Biológicas da UFMS, turma 2007. 

Para a produção destes materiais foram realizadas expedições, palestras e oficinas na bacia, contando com uma equipe multidisciplinar formada por pesquisadores, bolsistas, estagiários e voluntários da UFMS e de outras instituições, a quem agradecemos.

Também somos gratos a todos que, de alguma forma, contribuíram para a realização do trabalho: prefeituras e secretarias de meio ambiente e de educação, rádios e ONGs dos municípios visitados; aos quase 150 professores que participaram das oficinas; ao CNPq e à Pró-reitoria de  Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis e à Pro-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da UFMS, que proporcionaram os recursos suplementares necessários à sua produção e à contratação de mais bolsistas.